Nossas resistências, nossos hábitos e o aprendizado ao longo da vida

Nossas resistências, nossos hábitos e o aprendizado ao longo da vida

publicado em 25/02/2022 às 15:35

Por Monica Almeida, Designer instrucional e Facilitadora de experiências de aprendizagem presenciais e digitais.

Bem cedo chega uma mensagem no grupo dos pais do WhatsApp sobre a dificuldade da criança ao fazer determinada lição de casa, seguida de mais algumas. O livro da teoria não havia retornado na mochila e as crianças não se lembravam direito do conteúdo, então como poderiam realizar a atividade? 

Perguntei ao meu filho (de 9 anos) sobre o assunto, logo imaginando que “sobraria” pra mim, e ele respondeu: “A professora disse que poderíamos pesquisar no Google, você me empresta seu celular depois?”. Realmente o tema não parecia muito conhecido: numerações das civilizações Maia e Egípcia, por isso eu nem poderia ajudá-lo (risos). O grupo seguiu para uma discussão sobre as crianças serem orientadas a buscar por conta própria ao invés de mandar o livro de suporte para casa.

Se o aprendizado se dá ao longo de toda nossa vida (não apenas a escolar) e existem recursos e boas práticas que podem nos ajudar nessa busca, por que ainda resistimos? Hábitos diferentes daqueles que tínhamos precisam ser cultivados por nós e pelas próximas gerações para que o aprendizado seja mais fluido, interessante e não restrito ao ambiente formal de aprendizagem (salas de aulas com horários específicos, treinamentos corporativos etc.).

Curiosidade, autonomia e disciplina entram nessa história e contribuem para o processo. É comum que pesquisas na internet possam facilmente te levar para um outro lugar e você aprenda outras coisas por pura curiosidade, no meu caso dobraduras de guardanapos de pano (risos de novo). Acho que isso não é um problema desde que exercitemos a disciplina no sentido de focar e voltar ao que precisamos aprender, qual era mesmo o objetivo da pesquisa?

Nas formações da SG utilizamos a frase “aprenda no seu tempo” e faz muito sentido, desde que você reserve tempo para aprender em seu planejamento. Temos percebido pelo desempenho dos participantes naquilo que se espera como performance e alcance dos objetivos de aprendizagem estabelecidos, que aqueles que realizam as atividades propostas aos poucos e de forma constante, progridem mais, inclusive no sentido de atender suas próprias expectativas em relação àquilo que vieram buscar. 

Para fechar a reflexão (ou abrir!), gosto de uma analogia da Elaine Biech sobre aprendizagem quando ela diz que aprendizagem é como um alimento que não pode ser engolido de uma única vez, é preciso “mastigar”. Alguns nutricionistas recomendam até um número ideal de mastigações por garfada, não é? Na aprendizagem, vá aos poucos, segmente conteúdos e desenvolva-se de forma constante.

Download Best WordPress Themes Free Download
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
lynda course free download
download karbonn firmware
Download WordPress Themes Free
download udemy paid course for free
Gostou? Compartilhe:

Mais do nosso blog

Você também pode se interessar por esses conteúdos

Confira nosso blog